DIARINHO Online

Pular para o conteúdo

22h35 - Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014.

Acesso do Assinante

Esqueceu a senha? Clique aqui.

NOTÍCIAS QUENTINHAS

Cadernos > NOTÍCIAS QUENTINHAS > Baladeira que foi a júri popular pega sete anos de cana

DESFECHO FINAL

Baladeira que foi a júri popular pega sete anos de cana

09/03/2012 - 14:56 - Atualizado em 09/03/2012 - 14:58

Tamanho da letraBotão para diminuir a letraBotão para aumentar a letra

Sete anos e seis meses de cana.. Essa foi a pena que a psicóloga baladeira Ana Luíza Dobeck, 30 anos, pegou por ter atropelado e matado em 2004 a adolescente Bruna Gaeski, então com 16 anos. A decisão do júri popular foi tomada lá pelas 23h de quarta-feira, no fórum da comarca do Balneário Piçarras, cidade onde rolou o crime. A defesa de Ana, que mora em São Bento do Sul, já anunciou que vai recorrer da sentença.

O julgamento durou 14 horas e durante este período rolou muito debate, além de serem ouvidas as testemunhas. A canseira valeu como alívio pra família, que há mais de sete anos esperava por justiça. Os sete jurados foram unânimes em considerar Ana Luíza culpada pelo crime de homicídio por dolo eventual, que é quando a pessoa faz alguma caca e assume o risco de matar alguém. “Nisso, o julgamento teve um caráter pedagógico, pois a partir de agora reforça-se a tese do dolo eventual para crimes no trânsito”, comentou o advogado Gilberto Gaeski, pai de Bruna e que funcionou como assistente da promotoria.

Bruna andava na calçada quando foi atropelada
Bruna morreu em 1º de janeiro de 2004. Ela caminhava pela calçada da avenida Nereu Ramos, voltando de uma padaria, quando o Escort dirigido por Ana Luíza, veio em sua direção. A pobrezinha morreu na hora.
Depois de atropelar e matar a adolescente, o carango ainda feriu gravemente Raul Roberto Junior, 16, que tava perto de Bruna. O carro de Ana Luiza só parou ao acertar um muro. A hoje psicóloga saía da boate Bali Hai, estava a cerca de 100 km/h e apresentava sinais claros de bebedeira quando matou Bruna, afirma Gilberto.
Ainda em 2004, por conta da morte de Bruna, a família Gaski, que é de Curitiba, fundou o instituto Dias Melhores, pra transformar a tragédia que rolou com Bruna e outras vítimas de porradaços em algo positivo. A entidade presta assistência jurídica digrátis pras vítimas de acidentes de trânsito.

Envolvidos

  • Ana Luíza Dobeck , 30 anos.
  • Bruna Gaeski , 16 anos.
  • Raul Roberto Junior , 16 anos.


Ler mais matérias de NOTÍCIAS QUENTINHAS

Ana Luíza tava bêbada na hora do acidente

Localização




Comentários

Você precisa ser um usuário cadastrado no portal para visualizar e enviar comentários. Se você tem cadastro faça o login aqui. Se ainda não é cadastrado, clique aqui.



Voltar

Site auditado pelo IVC

Política de privacidade | Termos de uso | Central do assinante | Dúvidas frequentes | Anuncie | Mapa do site | Expediente | Fale conosco

  Curta o DIARINHO no Facebook DIARINHO 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por

www.diarinho.com.br